Dermo-conselheiro | Cuidados faciais , Pele , Cuidados corporais

Vitamina D

Sabia que a vitamina D é a única cuja fonte fundamental de síntese não é a ingestão alimentar, e que o nosso organismo a produz? É possível que a conheça como «a vitamina que ajuda o bronzeado», mas que mais sabe dela? Na publicação seguinte vamos falar sobre este composto, as suas funções, como se produz e de onde a podemos obter.

Como se produz a vitamina D?

A vitamina D produz-se graças ao efeito que a radiação solar tem sobre a nossa pele.

Os precursores da vitamina D necessitam da radiação solar para transformar-se na sua forma ativa e funcional. Para isso, é muito importante receber radiação solar sem fotoproteção durante 10-15 minutos por dia como regra geral. Porém, não entendamos mal esta afirmação: a radiação solar contínua e sem proteção oxida a pele e produz dano cutâneo que pode ser grave e irreversível. Porém, a dose apropriada de radiação nas horas adequadas favorece a síntese de vitamina D.

É importante ter em conta o fototipo da pele, dado que as peles pálidas têm um metabolismo mais eficaz de transformação que as mais pigmentadas.

Que funções tem a vitamina D no nosso organismo?

Fixa as moléculas de cálcio

A sua função essencial é a de intervir diretamente no metabolismo fosfocálcico. A vitamina D participa na absorção e na mineralização dos ossos. Além disso, evita o processo de rotura do osso para conseguir cálcio endógeno. O seu défice produz doenças como a osteoporose ou o raquitismo.

Melhora a função muscular

O défice de vitamina D pode produzir debilidade muscular e atrofiamento (fibra muscular tipo II), de modo que uma ingestão de alimentos que contenham vitamina D é um bom aliado.

 

Protege contra as doenças cardiovasculares

Pode ajudar a reduzir a pressão arterial e melhora a elasticidade dos seus vasos sanguíneos.

Por um lado, reduz o risco de diabetes tipo 2, já que induz melhorias nas células beta (que intervêm na produção e no armazenamento da insulina) e previne o seu défice.

Por outro lado, favorece a função imunológica. Estima-se que reduz o risco de contrair 17 tipos diferentes de cancro, como o do cólon, o da mama, o dos ovários e o da próstata.

Além disso, inibe o crescimento de células cancerígenas, aumenta a absorção de cálcio e favorece a diferenciação celular, enquanto reduz as metástases.

 

A vitamina D, de facto, favorece o bronzeamento da nossa pele?

A vitamina D é essencial para múltiplas funções necessárias, mas não está relacionada com a síntese direta de melanina, que é o pigmento natural da nossa pele.

É certo que favorece a regeneração celular da camada basal e induz a proliferação de queratinócitos, por isso é importante no cuidado da pele.

Assim, apesar de ser denominada "a vitamina do sol", não produz um aumento da pigmentação da pele. Mas, sem exposição solar, a síntese de vitamina D é deficiente.

De onde obtemos a vitamina D?

  • Do sol: é a principal fonte, saudável e natural, para que os precursores que ingerimos na alimentação se transformem em vitamina D.
  • Fontes alimentares:
    • Os peixes gordos (atum, salmão e cavala) encontram-se entre as melhores fontes de vitamina D.
    • O fígado de vaca, o queijo e as gemas dos ovos fornecem pequenas quantidades.
    • Os cogumelos também fornecem vitamina D.
  • Suplementos alimentares: muitos alimentos como os cerebrais juntam vitamina D sintetizada de forma artificial. Em ambientes com baixa exposição à radiação solar (os países nórdicos, por exemplo), é essencial que durante o inverno se junte um suplemento oral para evitar o seu défice.

autor
Dermo-conselheiroEspecialista em cuidados com a pele

Twitter

Facebook

Cookies

Subscrição a MartiDerm

Está a subscrever a nossa newsletter para estar atualizado(a) sobre todas as novidades da MartiDerm.

EMAIL