Dermo-conselheiro | Cuidados faciais , Pele , Nutrição

O ACNE: MITOS E VERDADES

A verdade mais irrefutável sobre o acne, é que incomoda e aborrece. O seu aparecimento é tão simples que ocorre facilmente quando finalmente conseguimos marcar um encontro com aquela pessoa que tanto desejávamos ou quando ligam para uma importante entrevista de trabalho. Simples.

Apesar de ser na adolescência que se dá um pico de incidência onde aproximadamente 8 em cada 10 sofre de acne, o certo é que pode apresentar-se em faixas etárias mais tardias.

O acne costuma apresentar-se clinicamente de forma insidiosa e progressiva. A modalidade mais frequente, acne vulgaris, inicia-se como lesão única e posteriormente em cúmulos. Assim, a pretensão de solucionar imediatamente a lesão inicial avermelhada e pouco aceite socialmente, não é, de todo, a melhor opção terapêutica.

Por isso não costumam ser boas ideias:

  • Mexer nas lesões
  • Utilizar maquilhagem para camuflar
  • Realizar limpezas abrasivas sobre essa zona do rosto
  • Ou, utilizar o clássico "matar e rebentar". São opções que não solucionam.

Assim, independentemente do modo de aniquilação que optou realizar para pontos negros e borbulhas, é muito possível que a infeção inicial e focal se propague, e as glândulas sebáceas vizinhas desse poro infrator e obstruído piorem a situação. Deste modo, damos-lhe alguns conselhos dermocosméticos para enfrentar o problema:

Primeiro conselho: PACIÊNCIA.

Falar é fácil, mas é a base de uma doença cutânea que sofre um processo evolutivo.

O acne produz-se pela obstrução dos poros que existem na nossa pele pelos quais, através de canais, expulsamos sebo produzido nas glândulas sebáceas. Se há um excesso e demasiadas células dérmicas mortas, os poros são obstruídos. Então, as bactérias podem ficar presas dentro dos poros e reproduzir-se, fazendo com que a pele fique vermelha e inchada.

Este processo é indiretamente influenciado pelo stress e diretamente por mudanças hormonais. Pessoas que têm uma predisposição genética multifactorial podem sofrer surtos se tiverem mudanças nos seus hábitos. Este processo necessita de tempo de evolução e esfoliação suave, para que esses canais sequem e se reabsorva parte do material detido e, como tal, diminua o edema.

Segundo conselho: COMER BEM.

Não há nenhum estudo com suficiente base científica que corrobore que uma dieta baseada no excelso e delicioso chocolate ou suas irmãs, as gorduras saturadas, induzam a um aumento de acne. Porém, uma boa dieta com abundante ingestão de líquidos e aumentando os vegetais favorece a redução de surtos.

 

Terceiro conselho: CUIDE E CONHEÇA A SUA PELE

O tratamento do acne deve ser individualizado de acordo com a tipologia da lesão, género e outras características do paciente.

Tente utilizar produtos baixos em matérias gordas ou óleos. Não esqueça de utilizar sempre um bom desmaquilhante de base aquosa.

Outro mito importante é pensarmos que com a exposição ao sol o nosso acne melhora. Não queremos que esqueça o risco de contrair melanoma. Modere a sua exposição ao sol e utilize sempre fotoprotetores livres de gorduras para evitar marcas ou cicatrizes.

Por último lembre-se que, apesar de o acne estigmatizar fisicamente e, por vezes, psicologicamente, é passageiro. Lembre-se que é muito importante manter a pele limpa e cuidada com hidratação e um bom tratamento facial hipogorduroso. Não há inimigo pequeno, diriam alguns, eu responderia: nem gigante intratável. Vemo-nos na próxima publicação!


autor
Dermo-conselheiroEspecialista em cuidados com a pele

Twitter

Facebook

Cookies

Subscrição a MartiDerm

Está a subscrever a nossa newsletter para estar atualizado(a) sobre todas as novidades da MartiDerm.

EMAIL