10-07-2017 | Dermo-conselheiro | Cuidados da pele

Como detetar uma mancha suspeita (e como agir)

Agora que se aproxima o verão e que a nossa pele começa a bronzear, é um bom momento para recordar como reage ao sol. Gostaríamos de dar algumas recomendações para que possa perceber se o sinal que acaba de descobrir na sua pele tem algum sinal de alarme.

 O aparecimento de manchas hiperpigmentadas na pele é muito comum, especialmente com o passar dos anos e o processo natural de envelhecimento. Porém, sabemos que um dos primeiros sinais de melanoma maligno é o aparecimento ou as alterações na forma ou cor das manchas ou sinais.

A regra: ABCDE

Uma mudança na aparência de qualquer mancha pode ser o primeiro sinal de melanoma. Os sinais de alarme são os seguintes:

  • A: Assimetria
    • É uma mancha não circular? Tem diferentes partes ou tamanhos?
  • B: Borda
    • Possui bordas irregulares?
  • C: Cor
    • Ao observá-la podem diferenciar-se diferentes cores?
  • D: Diâmetro?
    • Tem em algum dos seus diâmetros mais de 5 mm?
  • E: Evolução
    • Notou um aumento no tamanho?

Autoexame completo

Lembre-se que o melanoma pode aparecer em qualquer lugar do corpo, dado que se produzem os melanócitos da pele. Por isso, é importante realizar uma análise antes do início da exposição solar para monitorizar o aparecimento, o crescimento ou a mudança de cor das manchas que já tenhamos, especialmente nas seguintes localizações:

  • Cara, com especial atenção ao nariz, lábios e pavilhão auricular. Além disso, analise, com a ajuda de um pente, o couro cabeludo.
  • Pescoço, nuca e zona do decote.
  • Costas, principalmente nos ombros e mãos. Nas mulheres, deve verificar-se a parte debaixo e entre as mamas.
  • Espaços interdigitais (mãos e pés).
  • Zona inguinal e parte interna da perna até ao joelho, assim como a parte posterior poplítea.

Lembre-se que...

O melanoma tem diferenças de localização segundo o sexo. No homem é mais habitual no tronco, entre os ombros, na cabeça e no pescoço. Na mulher aparece mais frequentemente na zona inferior das pernas.

Ter mais precaução se...

  • Peles de fototipo claro (I e II): este tipo de pele tem tendência ao aparecimento destas lesões ou outras como os nevos melanocíticos, que podem degenerar com o tempo.
  • Queimaduras na infância: produzem um aumento da vulnerabilidade das camadas mais internas da pele e podem ser mais propensas a degenerar com a reação solar.
  • Envelhecimento: a grossura da derme e a sua capacidade de barreira diminui com a idade; por isso, o nível de proteção é inferior e é mais frequente ao aparecimento de manchas suspeitas.

Proteja-se

Dada a importância que têm a prevenção e o seguimento neste tipo de cancro, devemos seguir uma série de recomendações para averiguar que sinais podem ser de maior importância. E, em caso de dúvida, não arrisque e consulte um médico ou o seu dermatologista de referência.

  • Evite a radiação solar nas horas centrais do dia (entre as 12 e as 16 h).
  • Proteja-se com medidas físicas (óculos, chapéus, camisas, etc.).
  • Evite as queimaduras solares utilizando produtos de proteção solar e aplique-os a cada 2-3 horas, dependendo da situação e do seu fototipo de pele.

autor
Dermo-conselheiroEspecialista em cuidados com a pele

Twitter

Facebook

Este site usa cookies próprios e de terceiros para melhorar nossos serviços e analisar os hábitos de navegação do usuário. Se você continuar a navegar, considere aceitar seu uso. Você pode alterar as configurações de cookies ou obter mais informações visitando nossos política de cookies.